Confrade João Marcos Andrietta

Carta Entronização

artigos

Lar Frederico Ozanan de Salto, 30 de maio de 2015.

Queridas Consócias, Estimados Confrades, Caríssimo Irmão Pe. João Donizete, Senhoras e Senhores:

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Temos muitos motivos para nos alegrarmos nesta data. Peço a permissão de todos para destacar pelo menos três boas razões para nos sentirmos felizes com o acontecimento histórico que estamos vivenciando.

1° Motivo: Celebrarmos a entronização da imagem de Nossa Senhora das Graças nas dependências internas do Lar Frederico Ozanam. A intenção de elevarmos ao trono a representação artística da figura suprema de Maria Mãe de Deus é suscitar ou aumentar nas pessoas – residentes, funcionários, voluntários, benfeitores, diretores, frequentadores e visitantes do Lar – a devoção à Nossa Senhora na alusão das Graças, que a mãe Maria Santíssima pode nos conceder, pois “um filho ou uma filha de Maria jamais perece”.

2° Motivo: Confraternizarmos com todos que comungam dos mesmos ideais de servir aos Pobres e colaborar com as ações de eventos que a Sociedade de São Vicente de Paulo realiza em Salto, no esforço de promover os mais necessitados e amparar os idosos carentes.

3° Motivo: Compartilharmos da presença – sempre querida e bem-vinda – do adolescente que foi socorrido e promovido pelo trabalho dos Vicentinos Saltenses, do jovem que foi recrutado pela SSVP e, como Confrade, co-fundou uma de nossas Conferências Vicentinas, e depois, homem feito, acolheu o chamado de Deus, se formou num seminário Lazarista, e passadas muitas provações, foi ordenado sacerdote pela Congregação da Missão, como seguidor fiel do carisma e da espiritualidade de Vicente de Paulo. Assim, Pe João Donizete, afirmo – autorizado por todos que conhecem a sua história – que a sua vocação sacerdotal e Vicentina é uma grande Graça dada por Nossa Senhora. Portanto, devemos agradecer – continuamente – a Deus o dom da sua vida e o amor que você nos oferece com total gratuidade e incondicional solicitude.

Sabemos que a idolatria de imagens não é uma conduta cristã. Entretanto, a adoração pelos feitos e exemplos dados por Santos e Santas da Igreja, sobretudo das maravilhas ensinadas pela Mãe de Deus, é uma atitude indicada aos que estão no seguimento de Jesus Cristo. Deste modo, devemos solicitar a Deus que nos presenteie com um “Coração Mariano”, que saiba reconhecer na imagem de Nossa Senhora das Graças a ternura do seu olhar, sempre pronta a receber nossas súplicas, e ainda, a compreender que o significado – simbólico – das mãos abertas da Santa Maria em forma de
“Patena Eucarística”, é um forte sinal da Mãe Santíssima, ofertando seu filho, Jesus Cristo, para todos os homens e mulheres de “boa vontade”.

Fato marcante é Nossa Senhora repetindo a todo instante – com esse gesto – uma das maiores e melhores aulas de teologia, ao ensinar a memorável lição das “Bodas de Canã”: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. Infelizes são aqueles que “faltaram no dia dessa aula, pois perderam o melhor…”.

Cremos, por fim, que todos os que aprenderam e vivenciam intensamente a lição de Maria certamente estão fazendo o mesmo que fizeram os dois discípulos que caminhavam para Emaús. Depois de não terem reconhecido Jesus, que andava e conversava com eles, Ele se revela e os discípulos insistiram: “Permanece conosco” (Lucas 24, 29).

Que Nossa Senhora nos cumule de todas as Graças que precisamos!

Com muita saudade.

Beijo fraterno,

Confrade João Marcos Andrietta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *